Home Perfil Contato Anuncie Image Map

16 setembro 2016

Deus não está morto

      Olá meus amores, tudo bem?
      Hoje eu voltei com uma dica de um filme (que já está velhinho), mas quando eu assisti eu pensei na hora que precisava compartilhar a minha visão sobre o filme e indicá-lo a vocês, para que outras pessoas que ainda não assistiram pudessem se interessar e assistir. O filme Deus não está morto foi lançado em 2014 e teve um grande número de críticas (principalmente negativas), porém vou explicar melhor isso. Agora, leia o enredo do filme (via: wikipédia).

Josh Wheaton (Shane Harper), um jovem cristão, se matricula em uma universidade que possui aulas de filosofia, administradas pelo professor Jeffrey Radisson (Kevin Sorbo) - um "ateu" - que exige que seus alunos entreguem-lhe uma declaração de que "Deus está morto" para poderem obter uma nota de aprovação. Josh é o único aluno da classe que se recusa a assinar e por isso Radisson exige que ele debata o assunto, de modo que o estudante tenha de provar que Deus não está morto; mas permite que o conjunto da classe decida quem ganha. 
O professor dá a Josh vinte minutos ao final de três seminários, para que o aluno argumente que Deus existe. Nos dois primeiros debates, Radisson tem contra-argumentos para todos os pontos de Josh. Kara (Cassidy Gifford), a namorada de Josh, termina com ele, temendo o fim do futuro acadêmico deles, por causa do professor. Em última instancia, tudo se resumo ao terceiro e último debate entre aluno e professor, no qual mais uma vez há pontos coniventes. Josh então interrompe sua linha de raciocínio para fazer uma pergunta ao Radisson: "Por que você odeia Deus?". De imediato, Radisson não responde. A pergunta é refeita, e então o professor explode de raiva, afirmando que ele odeia Deus pela morte de sua mãe, que o deixou sozinho, apesar de suas orações. Josh, então casualmente lhe pergunta como ele odeia alguém que não existe. No final, Martin (Paul Kow), um estudante estrangeiro, cujo pai o incentivou a não se converter ao cristianismo, se levanta e diz "Deus não está morto". Quase toda a classe segue o exemplo de Martin, e Radisson deixa a sala derrotado. 
Fora esse contexto dos debates, uma série de subtramas periféricos relacionados ao assunto de desenvolve. Josh, além de debater com seu professor nas aulas, conversa sobre cristianismo com seus colegas. Mostra-se a relação entre Radisson e Mina, sua mulher cristã que ele humilha na frente de seus companheiros ateus. É contada também a história de uma estudante muçulmana chamada Ayisha (Hadeel Sittu), que se converte, porém é deserdada por seu pai quando ele descobre por causa de seu irmão. E assim, Josh tem ainda a missão de conseguir converter seu professor de filosofia.

          Primeiramente, vou falar das críticas negativas que tenho ao filme e depois vou explicar porque acredito que mesmo assim vale a pena assistir Deus não está morto
         A história em si é ótima, com ótimos personagens, porém acredito que poderiam ter explorado mais as história, principalmente as histórias secundárias. Todas as histórias ficam superficiais, e com pouquíssima relação entre si. Daria para enxugar em algumas partes que ficou meio "parado" e acrescentar mais histórias, e de preferências acrescentar coisas que ligassem as histórias, pois não teve muito sentido colocar tanta coisa que quase não teve relação entre si. Isso foi uma das críticas que eu mais li por aí, e concordo plenamente com isso. Teve alguns personagens que não fizeram sentido na história. Não por ser um personagens ruim, mas porque ficou tão superficial que quase não deu para entender o seu sentido ali. Mas, mesmo assim, eu amei o filme. Pode até ser meio contraditório, mas eu acredito que vale super a pena assistir Deus não está morto, porque o intuito do filme é ótimo. 
          Eu sou apaixonada por tudo o que tem relação com a fé das pessoas. Gosto de ler livros e ouvir histórias sobre fé. Não somos nada sem a fé que temos. E o filme mostra um jovem que luta para demostrar aquilo que acredita, e nos faz pensar: "Até onde vamos pela nossa fé? Como provamos que Deus realmente existe? Você teria coragem de colocar seus objetivos em risco para defender o seu posicionamento em relação à Deus?". Eu gosto quando algum filme nos desafia a pensar em nosso ponto de vista. Como cristã eu posso afirmar que acredito na existência de Deus e encontro mil motivos para isso, porém muitas pessoas acreditam em sua existência por conveniência. Não estou aqui duvidando da existência de Deus e nem querendo que você faça isso. Mas eu encontrei motivos concretos para acreditar na Sua existência e é isso que eu acredito que o filme quer que você o faça, busque motivos concretos para acreditar N'Ele. Ele realmente existe, eu sei disso. E você também pode ter essa certeza. 
       Espero realmente que você, que ainda não viu esse filme, se interesse em assistir, pois vale muito a pena. Aproveite o fim de semana e bora preparar a pipoca, hahaha. Logo teremos mais resenhas assim. 
  Não se esqueçam de seguir o blog aqui no Google+, a nossa fanpage (facebook.com/blogjessicamontagnhani), o instagram (@jessicamontagnhani) e o meu snapchat (jemontagnhani), assim você fica por dentro de tudo em primeira mão. Tenham todos um ótimo final de semana! Beijos e fiquem com Deus!

7 comentários:

  1. Vou assistir essa semana no netflix! Show!!!

    ResponderExcluir
  2. Vou assistir essa semana no netflix! Show!!!

    ResponderExcluir
  3. Já assisti esse filme, é um dos meus favoritos no mundo cristão...
    Te indico um filme, que vi no cinema, e foi o melhor que ví até hoje, é "milagres do paraíso" você vai amar.
    Primeira vez visitando o blog, e gostei muito, seguindo para acompanhar <3
    Se quiser me visitar - Esteticando-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela dica linda. Já anotei e irei assistir!
      Seja bem vinda ao blog e obrigada! Espero que goste. Beijos <3

      Excluir
  4. Gostei! Não conhecia... Vou procurar pra assistir! Beijos

    http://amebatom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Jéssica Montagnhani - 2015. Todos os direitos reservados. Design por: Vinicius Basan. Tecnologia do Blogger. imagem-logo